aquelas notícias sobre atividades... assim normais: "Estava uma linda tarde de sol, quando as crianças e os idosos desceram para o jardim celebrar o Magusto..." Não, não gostamos! Mas...

Mas, as fotografias que tirámos no Magusto deste ano ficaram mesmo bem! Queríamos registar este momento na nossa página e, como tal, aqui têm uma galeria bem bonita.

Podemos dizer que as castanhas estavam quentes e boas, quentinhas... foram assadas numa fogueira a sério e no fim todos cheiravam a fumo, é um facto! Foi divertido: comemos, cantamos e dançamos e é mesmo assim que deve ser.

Até para o ano S. Martinho! Cá te esperamos num dia de sol.

para quem pensa que

  • O Abrigo
  • creche

o trabalho em creche, com crianças pequenas, é só mudar fraldas e dar de comer... na creche do Abrigo os dias são mais do que isso. Os idosos convidaram a creche 3 para o Magusto e, como convidados que se prezem, não podíamos chegar de mãos a abanar…

- O que fazer?
- Somos muitos!
Nada melhor que um delicioso bolo… “o meu bolo” (disse o João Pedro). E que bolo é esse? É um daqueles que os meninos e as meninas podem escolher para festejarem o seu aniversário… E o bolo que o João assume como seu, é um dos preferidos do grupo: bolo de laranja. Mas não é um bolo de laranja qualquer, pois só um grande cozinheiro parisiense o ensina a confecionar: o Ratatouille.
- Podemos pôr molho de chocolate? – Perguntou entusiasmada a Inês.
- Claro que sim Inês, depois cobrimo-lo com chocolate. – Garantiu o adulto.
Mas ainda havia uma questão:
- Somos muitos!
- Tem de ser um bolo muito, muito, muito grande!
Então, que tal fazermos equipas de pasteleiros? – Propôs o adulto.
- Sim… - Responderam as crianças em coro.

Encontrou-se três chefes: a Luísa para a equipa da mesa azul escura; o Tomás Sá para a mesa azul clarinha; e a Inês para a equipa da mesa amarela. Os chefes – recorrendo à famosa receita - foram dando as indicações ao merceeiro do que necessitavam para o bolo… uma vez reunidos os ingredientes, nas quantidades devidas, cada chefe deu indicação aos seus ajudantes para os irem misturando, mexendo bem entre cada adição. No final, todos os preparados se juntaram obtendo-se uma grande quantidade de massa, que deu origem a um belo trabalho de equipa: um enorme bolo de laranja com cobertura de chocolate.

e este ano, o sol quente de outubro aqueceu a nossa festa.

No Abrigo gostamos da desfolhada. Não sendo muito comum, este ano, durante a desfolhada encontraram-se imensos milhos-rei. Esperamos que seja um sinal de sorte! Mas, mesmo que não o seja, a quantidade de milhos-rei que encontramos foi um bom pretexto para a troca de beijos entre os presentes.

Para realizarmos esta festa, há sempre alguém que nos cede as espigas, há sempre alguém que nos empresta as saias, as blusas, os lenços e todos os adereços que tornam este momento ainda mais bonito. A todos estas pessoas, o nosso muito obrigada!

Nós gostamos imenso de ajudar a desfolhar e, como em qualquer casa, gostamos muito de festas!

às vezes ficamos sem palavras

Há dias assim... dias em que as pessoas nos surpreendem.

Durante uma conversa de trabalho, o nosso fisioterapeuta Luís falou de uma técnica chamada "terapia do espelho" que é utilizada no tratamento de pessoas vítimas de Acidente Vascular Cerebral (AVC). 

Não somos especialistas ou técnicos da área mas, é algo mais ou menos assim: A pessoa coloca as duas mãos dentro de uma caixa que se encontra dividida com um espelho. O fisioterapeuta pede à pessoa que execute alguns movimentos com a mão saudável.

Como a pessoa vê no espelho o reflexo do lado saudável, a rede neural da mão saudável é capaz de induzir a outra a realizar a tarefa semelhante. 

Fantástico, não é? Os estudos revelam algum sucesso na aplicação da "terapia do espelho" mas, este equipamento tem um custo significativo. 

E então, hoje, a Patrícia ofereceu ao Abrigo uma alternativa à caixa de espelhos que ela própria construiu. Esta prenda ajuda o Luís no seu trabalho e melhora a vida das pessoas que fazem fisioterapia no Porto de Abrigo.

Obrigada!

fepsa

era a frase mais ouvida na passada manhã de terça-feira, a propósito da visita à FEPSA – Feltros Portugueses, SA.

Inserida no percurso do Turismo Industrial de São João da Madeira, esta fábrica acolheu a visita de um grupo de residentes do Porto de Abrigo, que tiveram assim a oportunidade de acompanhar por uns momentos o trabalho que ali é diariamente desenvolvido e ficar a conhecer o modo de produção de feltro para chapéus.

Equipados a rigor, os residentes vestiram o papel de técnicos por um dia e entraram num ambiente muito particular. Viram de perto a máquina que dá origem ao feltro e sentiram com as próprias mãos a evolução do material à medida que a produção avança.

No final da visita puderam experimentar alguns exemplares de chapéus produzidos com os feltros da FEPSA, que exporta mundialmente. E como a manhã abriu o apetite nada melhor do que almoçar na cidade. O centro comercial 8ª Avenida foi o local escolhido para repor energia e comentar sobre “as coisas que nunca contava de ir ver”.

fepsa1

Foi um dia animado que deixa boas memórias, porque nunca é tarde para aprender. Um agradecimento especial à equipa do Turismo Industrial de São João da Madeira e à nossa guia, pela atenção e carinho com que acompanhou e orientou o grupo.

o dia mundial dos avós

diadosavos1

O dia dos avós é comemorado em todo o mundo e tem como finalidade celebrar aqueles que um dia contribuiram com mais vida para a história da humanidade.

No Abrigo, convidámos os netos para estarem um pouco com os seus avós e connosco. Para animar a tarde os avós e netos participaram em diversos jogos tradicionais e cantaram com alegria e entusiasmo. Como não podia deixar de ser, para retemperar as energias, partilhamos um lanche em ameno convívio e boa disposição./p>

Uma tarde divertida para celebrar e valorizar momentos simples da vida. Em família.

2021 | O Abrigo - Centro de Solidariedade Social de São João de Ver
Todos os direitos reservados. | Política de privacidade
Livro de reclamações online