Com o objetivo de promover a apresentação de trabalhos de investigação científica, de projetos de intervenção e a partilha de experiências entre os diversos profissionais e organizações, a Escola Superior de Educação do Porto organizou o 1.º Seminário de Investigação, Inovação e Intervenção em Gerontologia. Neste dia, Dia Mundial da Justica Social, falar sobre práticas de cuidar que respeitam a dignidade da pessoa idosa foi uma responsabilidade maior. Foi com muito orgulho que partilhamos a nossa experiência como Unidade Humanitude no Porto de Abrigo.

É importante continuar a insistir, não perder o ânimo. É importante demonstrar que é possível prestar cuidados a pessoas idosas, em contexto de estrutura residencial, de forma digna. É possível viver num lar de idosos e viver num lugar de vida. É possível prestar cuidados diferenciadores: os cuidados que queremos receber um dia são os cuidados que temos o dever de prestar hoje às pessoas de quem cuidamos.

 

Foi com enorme prazer e orgulho que integramos um momento formativo do workshop "Metodologia de cuidados em Humanitude - conceitos e ferramentas de cuidar pacificadoras das pessoas com comportamentos de agitação" organizado pela Escola Superior de Enfermagem da Universidade de Coimbra e pela cooperativa Via Hominis.

Tivemos o privilégio de receber na nossa casa pessoas simpáticas, disponíveis e recetivas para pensar o cuidar em Humanitude. Partilhamos a nossa filosofia de trabalho, o que é cuidar em humanitude todos os dias e o que faz do Porto de Abrigo um lugar de vida. Porque a palavra e a experiência de quem cuida é muito importante, tivemos a oportunidade de ouvir alguns testemunhos da equipa de trabalho do Abrigo. Conseguimos perceber que o impacto que a humanitude tem nos cuidadores ultrapassa a esfera profissional, há também "um antes e um depois da Humanitude" em termos pessoais.

O nosso agradecimento à organização do workshop por nos ter escolhido como um exemplo de boa prática na implementação da filosofia Humanitude em Portugal. Não podemos deixar passar a oportunidade de registar aqui a boa surpresa que nos foi proporcionada. Este dia será recordado na nossa história como o dia em que recebemos a professora Nídia Salgueiro no Porto de Abrigo. Uma honra. Um dia especial. 

Imaginem que convidam a vossa família mais próxima para almoçar. Imaginem que põem a mesa e a vossa família vai chegando, vai sentando, vai estando. Entretanto o almoço fica pronto e sentam-se à mesa, entre conversas. E olham à vossa volta e reparam que a vossa família é composta por mais de 60 pessoas. Organizar um almoço assim é quase uma loucura logística... 

No Porto de Abrigo, o almoço de São Martinho foi uma loucura logística feliz. Recebemos as famílias para almoçar num dia muito bonito, com cheiro a castanha assada. O nosso esforço sabe-nos muito bem quando as pessoas reconhecem o quanto é importante para elas poder estar desta forma, em família, em festa. Porque o Porto de Abrigo é um lar, um lugar de vida, onde há dias de festa, dias de ternura.

 

Somos Unidade Humanitude no SAD

Às vezes é preciso mudar. Foi com esta convicção que abraçámos a ideia de nos reinventarmos depois de 17 anos de quilómetros percorridos pelas ruas e casas de São João de Ver. Não foi um exercício simples. Ainda não é, mas um ano depois, os resultados confirmam aquilo em que sempre acreditámos: é possível fazer diferente e vale a pena fazer melhor!

O final de 2016 vai ficar guardado na memória do Abrigo porque vimos o serviço de apoio domiciliário reconhecido pelo Instituto Gineste-Marescotti Portugal como uma Unidade Humanitude. E porque esse momento feliz foi partilhado pela equipa de cuidadoras com parte daqueles que diariamente nos recebem em suas casas. No dia 10 de Dezembro convidámos as pessoas a conhecerem a nossa casa maior para juntos celebrarmos esta conquista. Diariamente sentimos de modo muito imediato o impacto da nossa presença junto das pessoas de quem cuidamos, mas ouvir de viva voz essa experiência tornou este dia ainda mais especial.

É com orgulho que agradecemos a confiança dos que nos escolhem para os ajudar a viver bem, apesar de tudo, no conforto do seu lar. Para o futuro, esperamos recebê-los mais vezes. E renovamos o compromisso de continuar a revolução e cuidar como gostaríamos que cuidassem de nós, cuidar com o coração.

Jornal da Uma da TVI

Recebemos a visita de uma equipa de reportagem da TVI. Não porque tenha acontecido nada de errado mas, porque se queria noticiar uma coisa boa, muito boa aliás. "Vida nos lares de idosos pode ser melhor" é o título da reportagem sobre o Porto de Abrigo.

Estamos para lá de contentes por vários motivos. Em primeiro lugar porque a Via Hominis, cooperativa que representa a Humanitude em Portugal, fez-nos o convite para sermos o exemplo de uma unidade de vida, o exemplo do que cuidar em humanitude representa. Em segundo lugar, porque conseguimos demonstrar na prática ao jornalista Francisco David Ferreira como se vive no Porto de Abrigo. E por último, a reação das pessoas que viram a reportagem foi muito positiva o que nos encheu de orgulho.

São 2 minutos preciosos:

da satisfação

A opinião das pessoas que recebem os nossos serviços é fundamental para o crescimento do Abrigo.

Queremos ser a primeira escolha das famílias e, por isso, procuramos diariamente fazer o nosso melhor. Para saber se conseguimos ir de encontro às expectativas das pessoas a quem prestamos serviços, fizemos a avaliação da sua satisfação. Dos 159 questionários que entregámos, recebemos 72% de respostas. Os resultados globais da avaliação da satisfação de utentes por resposta social são os seguintes:

 

Além destes resultados claramente positivos, é com orgulho que verificamos que todos os utentes do Abrigo recomendariam os nossos serviços a familiares e amigos. Recebemos todas as sugestões de melhoria com atenção e recebemos todas as palavras gentis com satisfação. Queremos continuar a fazer melhor e contamos com a ajuda das pessoas de quem cuidamos. Não podia ser melhor! O nosso sincero agradecimento. Muito obrigada! 

2018 | O Abrigo - Centro de Solidariedade Social de São João de Ver
Todos os direitos reservados. | Política de privacidade
Livro de reclamações online