A Humanitude é transformadora na forma como olhamos para o outro, para o nosso trabalho e para nós próprios.

Quando a formação termina temos uma certeza: é impossível continuar a fazer como fazíamos. E fazer diferente torna-se uma urgência. Sabemos por experiência própria que esta certeza gera angústia e desorientação porque não sabemos por onde começar.

No Abrigo, o percurso que efetuamos foi assente na melhoria continua, na construção de instrumentos e na monitorização do nosso desempenho.

Para quem ainda está a começar, e depois da formação inicial, o mergulho em Unidade Humanitude no Abrigo permite conhecer os princípios da filosofia incorporados na organização e funcionamento, permite a observação das práticas e o conhecimento dos instrumentos de trabalho que foram construídos para dar corpo à prestação de cuidados em Humanitude. 

Queremos agradecer à Santa Casa da Misericórdia da Trofa por acreditar que conhecer a experiência do Abrigo poderia ser uma oportunidade de aprendizagem. Esperamos que os dias de trabalho em conjunto tenham sido inspiradores e úteis para a construção do vosso caminho em Humanitude.

Filosofia Humanitude no ISSSP

No âmbito da disciplina de Avaliação da Qualidade de Residências e Serviços Sociais para Idosos do mestrado em Gerontologia Social, o Instituto Superior de Serviço Social do Porto (ISSSP) organizou o seminário Filosofia Humanitude - estudo de caso.

Cinco anos após o início do funcionamento do Porto de Abrigo, é um orgulho sermos convidados para partilhar a nossa experiência como Unidade Humanitude. Ter a possibilidade de contar a nossa história, as nossas conquistas e falar sobre as nossas práticas em contexto académico é semear nos profissionais de amanhã o desafio de cuidar em ternura. 

Esperamos ter contribuido para inspirar os dias de quem vê beleza no cuidar.

O nosso coração ficou cheio com o entusiasmo do auditório! 

O Mergulho da Primavida

Implementar a filosofia Humanitude e adotar a metodologia e prestação de cuidados Gineste-Marescotti na prática diária de cuidados, na organização e funcionamento da casa e na criação de instrumentos de trabalho, não é fácil. É normal sentir que a tarefa é grande de mais e que não se sabe por onde começar.

A realização de dois dias de formação imersiva no Abrigo, que designamos por Mergulho, surge da constatação desta dificuldade e pretende possibilitar às instituições que já fizeram a formação em Humanitude, conhecer em detalhe, observar a prática e vivênciar o funcionamento do Porto de Abrigo - Unidade Humanitude. 

Foi neste âmbito que recebemos a Primavida, uma residência sénior da freguesia de Amor em Leiria, para a realização de um Mergulho.

Receber uma outra organização que, tal como nós, presta cuidados a pessoas idosas, e que nos procura para connosco aprender é uma responsabilidade muito grande. Queremos corresponder às expectativas. Queremos proporcionar um momento de aprendizagem significativo. Demonstrar o que fazemos no dia a dia não é fácil. Obriga-nos a distanciarmo-nos do que nos é familiar, do que para nós se torna tão evidente. Só a sistematização da nossa prática e da informação que produzimos nos permite partilhar com objetividade e ajudar a construir conhecimento. 

A realização da formação imersiva "Mergulho em Unidade Humanitude" é o contributo do Abrigo para a disseminação dos cuidados em Humanitude. É o nosso contributo para mudar, mesmo que devagarinho, o mundo da prestação de cuidados a pessoas idosas.

 

Na sequência de uma visita que recebemos em Fevereiro no Porto de Abrigo, surgiu um convite muito especial: partilhar com todas as instituições que integram a rede social de Guimarães a nossa experiência como Unidade Humanitude. 

Quando nos convidam para falar do que fazemos todos os dias, sentimos orgulho. Sentimos também uma espécie de vergonha que não é falsa modéstia... é uma espécie de constrangimento bom causado pela atenção que estamos a receber. Ficamos felizes por perceber que o que temos a dizer interessa a outras pessoas. Felizes por perceber que há muitas pessoas que partilham das mesmas preocupações que nós. Somos muitos a querer fazer melhor e disponíveis para ouvir outras experiências para com elas aprender. 

As palavras de apreço e valorização pelo trabalho desenvolvido no Porto de Abrigo foram calorosas e muitas. Essas palavras de reconhecimento serão entregues à equipa de cuidadores que todos os dias procura aperfeiçoar o seu desempenho e cuidar com o coração.

O nosso agradecimento à senhora vereadora da Ação Social da Câmara Municipal de Guimarães, Drª Paula Oliveira, pelo convite, pela presença e pelo apoio na divulgação da importância de olhar para os cuidados que todos os dias prestamos como os cuidados que gostaríamos de receber.

Os lares do futuro

O seminário "Os lares do futuro e o futuro dos lares" foi organizado pela União Concelhia de IPSS de Águeda e pelo Projeto Ganhar Sorrisos, com o apoio da Câmara Municipal de Águeda. Foi com satisfação que aceitamos o convite para dar o nosso testemunho enquanto Unidade Humanidade. É sempre um orgulho partilhar a experiência do Porto de Abrigo. 

Quando começou a obra do Porto de Abrigo, começou também a construção da organização e funcionamento da casa. Sabíamos bem o que queríamos. Dia após dia, fomos conseguindo construir uma boa casa para viver. Com a Humanitude, o nosso lar transformou-se num lugar de vida e isto é muito importante. Cuidar em Humanitude é para nós, Abrigo, a resposta que encontramos para a responsabilidade que temos de prestar os cuidados que um dia gostaríamos de receber: cuidados em ternura. Consegui-lo é extremamente exigente. Mas possível.

2018 | O Abrigo - Centro de Solidariedade Social de São João de Ver
Todos os direitos reservados. | Política de privacidade
Livro de reclamações online