Na sequência de uma visita que recebemos em Fevereiro no Porto de Abrigo, surgiu um convite muito especial: partilhar com todas as instituições que integram a rede social de Guimarães a nossa experiência como Unidade Humanitude. 

Quando nos convidam para falar do que fazemos todos os dias, sentimos orgulho. Sentimos também uma espécie de vergonha que não é falsa modéstia... é uma espécie de constrangimento bom causado pela atenção que estamos a receber. Ficamos felizes por perceber que o que temos a dizer interessa a outras pessoas. Felizes por perceber que há muitas pessoas que partilham das mesmas preocupações que nós. Somos muitos a querer fazer melhor e disponíveis para ouvir outras experiências para com elas aprender. 

As palavras de apreço e valorização pelo trabalho desenvolvido no Porto de Abrigo foram calorosas e muitas. Essas palavras de reconhecimento serão entregues à equipa de cuidadores que todos os dias procura aperfeiçoar o seu desempenho e cuidar com o coração.

O nosso agradecimento à senhora vereadora da Ação Social da Câmara Municipal de Guimarães, Drª Paula Oliveira, pelo convite, pela presença e pelo apoio na divulgação da importância de olhar para os cuidados que todos os dias prestamos como os cuidados que gostaríamos de receber.

Os lares do futuro

O seminário "Os lares do futuro e o futuro dos lares" foi organizado pela União Concelhia de IPSS de Águeda e pelo Projeto Ganhar Sorrisos, com o apoio da Câmara Municipal de Águeda. Foi com satisfação que aceitamos o convite para dar o nosso testemunho enquanto Unidade Humanidade. É sempre um orgulho partilhar a experiência do Porto de Abrigo. 

Quando começou a obra do Porto de Abrigo, começou também a construção da organização e funcionamento da casa. Sabíamos bem o que queríamos. Dia após dia, fomos conseguindo construir uma boa casa para viver. Com a Humanitude, o nosso lar transformou-se num lugar de vida e isto é muito importante. Cuidar em Humanitude é para nós, Abrigo, a resposta que encontramos para a responsabilidade que temos de prestar os cuidados que um dia gostaríamos de receber: cuidados em ternura. Consegui-lo é extremamente exigente. Mas possível.

 

Com o objetivo de promover a apresentação de trabalhos de investigação científica, de projetos de intervenção e a partilha de experiências entre os diversos profissionais e organizações, a Escola Superior de Educação do Porto organizou o 1.º Seminário de Investigação, Inovação e Intervenção em Gerontologia. Neste dia, Dia Mundial da Justica Social, falar sobre práticas de cuidar que respeitam a dignidade da pessoa idosa foi uma responsabilidade maior. Foi com muito orgulho que partilhamos a nossa experiência como Unidade Humanitude no Porto de Abrigo.

É importante continuar a insistir, não perder o ânimo. É importante demonstrar que é possível prestar cuidados a pessoas idosas, em contexto de estrutura residencial, de forma digna. É possível viver num lar de idosos e viver num lugar de vida. É possível prestar cuidados diferenciadores: os cuidados que queremos receber um dia são os cuidados que temos o dever de prestar hoje às pessoas de quem cuidamos.

 

Foi com enorme prazer e orgulho que integramos um momento formativo do workshop "Metodologia de cuidados em Humanitude - conceitos e ferramentas de cuidar pacificadoras das pessoas com comportamentos de agitação" organizado pela Escola Superior de Enfermagem da Universidade de Coimbra e pela cooperativa Via Hominis.

Tivemos o privilégio de receber na nossa casa pessoas simpáticas, disponíveis e recetivas para pensar o cuidar em Humanitude. Partilhamos a nossa filosofia de trabalho, o que é cuidar em humanitude todos os dias e o que faz do Porto de Abrigo um lugar de vida. Porque a palavra e a experiência de quem cuida é muito importante, tivemos a oportunidade de ouvir alguns testemunhos da equipa de trabalho do Abrigo. Conseguimos perceber que o impacto que a humanitude tem nos cuidadores ultrapassa a esfera profissional, há também "um antes e um depois da Humanitude" em termos pessoais.

O nosso agradecimento à organização do workshop por nos ter escolhido como um exemplo de boa prática na implementação da filosofia Humanitude em Portugal. Não podemos deixar passar a oportunidade de registar aqui a boa surpresa que nos foi proporcionada. Este dia será recordado na nossa história como o dia em que recebemos a professora Nídia Salgueiro no Porto de Abrigo. Uma honra. Um dia especial. 

Imaginem que convidam a vossa família mais próxima para almoçar. Imaginem que põem a mesa e a vossa família vai chegando, vai sentando, vai estando. Entretanto o almoço fica pronto e sentam-se à mesa, entre conversas. E olham à vossa volta e reparam que a vossa família é composta por mais de 60 pessoas. Organizar um almoço assim é quase uma loucura logística... 

No Porto de Abrigo, o almoço de São Martinho foi uma loucura logística feliz. Recebemos as famílias para almoçar num dia muito bonito, com cheiro a castanha assada. O nosso esforço sabe-nos muito bem quando as pessoas reconhecem o quanto é importante para elas poder estar desta forma, em família, em festa. Porque o Porto de Abrigo é um lar, um lugar de vida, onde há dias de festa, dias de ternura.

 

2018 | O Abrigo - Centro de Solidariedade Social de São João de Ver
Todos os direitos reservados. | Política de privacidade
Livro de reclamações online