NORTE 2020 em 2019

Em Julho de 2018, O Abrigo apresentou uma candidatura ao aviso NORTE‐42‐2018‐13 do Regulamento Específico do Domínio do Capital Humano na prioridade de investimento 9.7 - Investimento na saúde e nas infraestruturas sociais que contribuam para o desenvolvimento nacional, regional e local, para a redução das desigualdades de saúde, para a promoção da inclusão social através de melhor acesso aos serviços sociais, culturais e de recreio, assim como para a transição dos serviços institucionais para os serviços de base comunitária.

Em Setembro de 2019, recebemos a aprovação e com o apoio do FEDER, O Abrigo conseguiu realizar os investimentos previstos na candidatura Requalificação da cobertura e Águas Quentes Sanitárias do centro de dia, creche e serviço de apoio domiciliário.

Esta candidatura permitiu-nos responder à necessidade premente de substituir a cobertura do edifício que se encontrava danificada ao ponto de já existirem algumas infiltrações das águas das chuvas no interior. 

Como em muitas casas da nossa dimensão, os custos fixos de água, luz e gás são muito significativos. As nossas preocupações com estes encargos em pouco se traduziam na diminuição efetiva dos custos... Sabíamos que, para existir uma redução no valor das faturas, era preciso aumentar a eficiência energética associada à gestão das águas quentes sanitárias. De acordo com as estimativas mais ponderadas em sede de candidatura, a requalificação do atual sistema teria um impacto previsto no consumo de energia na ordem dos 40%. Estamos muito otimistas. Acreditamos que em 2020 o nosso desempenho energético será mais amigo do ambiente (e das contas também).

Estes investimentos são verdadeiramente importantes para O Abrigo. Sem qualquer dúvida. No entanto, não são visíveis para os utilizadores.

Foi com a aquisição de mobiliário novo para o centro de dia que sentimos alegria e satisfação. Há muito que queríamos substituir o mobiliário do centro de dia. No entanto, ao longo dos últimos anos a necessidade de priorização dos escassos investimentos que fomos fazendo não o permitia.

Agora, temos um centro de dia mais bonito e, principalmente, mais confortável. O melhor de tudo é ver a satisfação no rosto das pessoas. Sentimos orgulho!

E como não podia deixar de ser, quando recebemos apoio, devemos sempre agradecer: Obrigada NORTE 2020! 

 

Em conformidade com as disposições legais aplicáveis e os estatutos da associação, convoco todos os sócios para se reunirem em Assembleia Geral, que terá lugar na sede da associação, sita na rua da estação 541 4520-618 São João de Vêr, pelas 20h30m do dia 25 de Novembro de 2019 com a seguinte ordem de trabalhos:

  1. Apreciação e Votação do Plano de Atividades e Orçamento Previsional para o ano 2020;
  2. Discussão e votação do Regulamento Eleitoral;
  3. Outros assuntos de interesse para a Associação.

Se à hora indicada não houver quórum, a Assembleia terá inicio 30 minutos depois no mesmo local, com qualquer número de sócios e a mesma ordem de trabalhos.

São João de Ver, 08 de Novembro de 2019
O Presidente da Assembleia Geral
Eng.º José Fernandes de Oliveira

Para consultar os documentos em discussão na assembleia, clique aqui.

 

Gostamos de contar sobre aqueles que entram na nossa vida e esta é uma história que se impõe diferente. Porque guarda nos olhos cor de mar e no meigo sorriso memórias de uma vida tão longa que foi preciso viver 100 anos até chegarmos a ter o privilégio de sermos nós a entrar na dela, esperamos que para ficar.


Diz que nunca pensou contar tantos, mas ao que parece existe um segredo para conseguir. Como quem sabe falar sem precisar de palavras baixou a cabeça, chegou-se mais perto, juntou os indicadores num só e ergueu as mãos para partilhar este gesto, em jeito de quem entrega uma sabedoria maior.


É bem provável que estivesse a falar de amor, afinal, diz que o amor foi a sua sorte. Quando não deu tempo de crescer no colo da mãe, que a vida lhe roubou sem idade para perceber nem como nem porquê. Quando não houve meio de ficar com o pai, que em tempos idos não se fazia fé que os homens também soubessem criar.

O amor foi a sua sorte. Quando os tios velhinhos a acolheram para a guardar, lhe deram casa para ficar e primos para brincar. Tanto amor para uma menina só, que os ciúmes deles se confundiam com a vontade de a proteger. E ao lembrá-los, sorri.

O amor foi a sua sorte. Quando o namoro passou a vir, com hora marcada, só para a ver da porta da casa onde não havia ordem de entrar. Mais velho, ela tão nova, envergonhada de o gostar. Tanto amor que ele esperou e ela cedeu, para nunca se arrepender. E ao lembrá-lo, sorri.

O amor foi a sua sorte. Quando tomou para si o desejo dele de não ter filhos, mas a casa se foi enchendo de filhos dos outros que, pouco a pouco, lhe alegraram o coração. Tanto amor que mantém o dom de não precisar do sangue para tecer os laços que a ligam aos outros. E em cada reencontro diário, agradece e sorri.

A Miquinhas completa hoje 101 anos de vida, mas há vários dias que na casa se sente festa. Há certa pompa nesta circunstância, não tem como não ser um dia especial, muito especial. Há, sobretudo, muita honra neste Porto, que lhe é de Abrigo, por podermos presenciar e proporcionar que o amor continue a ser a sua sorte. É, agora, um tanto a nossa também. Muitos Parabéns!

 

Quem nunca? Teve uma experiência de atendimento desagradável? Quem nunca viveu uma experiência de atendimento extremamente agradável? O que fez a diferença?

Foi este o mote da formação que o Abrigo organizou e para a qual convidou o Centro Social e Paroquial das Caldas de São Jorge e o Centro Social de Lourosa.
Quando somos nós que fazemos atendimento ao público, deixamos de ver aquilo que fazemos e o impacto que as nossas ações e rotinas de trabalho têm em quem nos visita pela primeira vez.
Só há uma forma de nos vermos pelos olhos dos outros, por isso desafiamos as nossas instituições convidadas a realizar visitas de cliente mistério interinstitucionais.

Foram as pessoas que trabalham no atendimento que entraram porta adentro numa outra instituição para se poderem colocar no lugar de quem procura informação. Como funciona uma creche? Como posso inscrever o meu pai para o centro de dia? Quanto vou pagar?
Por si só, este foi um momento de aprendizagem. Como é chegar a um sítio que não conhecemos? De que forma somos recebidos? Conseguimos perceber a informação? É simples?

Estas e outras questões foram posteriormente abordadas em contexto de formação e foram apresentadas boas práticas que podem ajudar a promover um atendimento não só cordial, mas também profissional, eficaz, célere… de qualidade.

Partilhar estas questões com outros profissionais que também as vivem no dia-a-dia é importante para conseguirmos identificar aspetos a melhorar, quais são as nossas fragilidades e como as podemos ultrapassar.
Sabemos que o primeiro contacto é determinante para causar boa impressão.
Os serviços que prestamos assentam na construção de uma relação de confiança que começa no momento em que a pessoa toca pela primeira vez à campainha. E há sempre uma oportunidade para fazer melhor.

Crescer é aprender a voar

  • O Abrigo
  • creche

A convite do Semi-Internato de Nossa Senhora da Encarnação da Congregação das Irmãs Concepcionistas ao Serviço dos Pobres estivemos em Elvas para dar a conhecer o trabalho da creche do Abrigo. 

Do ponto de vista técnico, a nossa partilha encontrou eco na assistência: O trabalho pedagógico em creche é importante, há várias formas de o alcançar e de ter sucesso.
No Abrigo temos a garantia de que fazemos o que dizemos que fazemos reconhecida pela certificação nível A de acordo com os Manuais de Avaliação da Qualidade da Segurança Social. O nosso projeto educativo e método de trabalho inspiram-se no Crescendo em Qualidade da Gabriela Portugal e diariamente, as nossas educadoras aplicam a metodologia de projeto no trabalho que desenvolvem com as crianças.

Apesar da confiança que sentimos nas ferramentas que utilizamos, sabemos que isso não chega. E muito perto da fronteira com Espanha, encontramos cuidadoras no Semi-Internato de Nossa Senhora da Encarnação que também o sabem.
É muito difícil ter a capacidade de conseguir olhar para aquilo que fazemos, ver a sua importância, questionar, duvidar e querer continuar a procurar formas de fazer melhor. Porque questionar o que fazemos todos os dias deixa-nos sem chão. Vermo-nos pelos olhos dos outros é um exercício que nos provoca desconforto e medo. Mas, é fundamental. Porque somos pessoas que cuidam de pessoas. E às vezes deixamos de as ver. E, no correr dos dias, ao fim de muitos dias, deixamos de nos ver também. 

Em Elvas, fomos recebidas com muito carinho.
Voltamos para casa com um grande exemplo da equipa de cuidadoras do Semi-Internato de Nossa Senhora da Encarnação, algumas das quais com 40 anos de experiência de trabalho com crianças pequenas: não há que ter medo de continuar a olhar para nós próprias com espírito crítico e reflexivo, à medida que o tempo passa e que a nossa experiência de trabalho se vai acumulando.
O passado, a história são importantes para nos lembrar quem somos. Mas, o futuro constrói-se agora e todos os dias.

2018 | O Abrigo - Centro de Solidariedade Social de São João de Ver
Todos os direitos reservados. | Política de privacidade
Livro de reclamações online